João Pessoa e o Litoral Sul

João Pessoa

Nas Américas, é em João Pessoa que o Sol nasce primeiro

Conhecer João Pessoa, capital da Paraíba, em qualquer época do ano é certamente um encontro com o sol, a alegria e a beleza do terceiro centro urbano mais antigo do Brasil, que no dia 5 de agosto completa 434 anos de fundação. É também a comunhão com o ar bucólico e a tranqüilidade de uma das cidades mais verde do Brasil. João Pessoa nasceu há muito tempo, mas vem preservando como poucas cidades o seu patrimônio histórico, que é considerado por especialistas no assunto, um dos mais ricos do país. Na parte velha, também conhecida como cidade baixa, há uma grande quantidade de monumentos, prédios e igrejas que recontam a história de uma Paraíba guerreira.

Dentre muitos monumentos barrocos, um merece destaque pelo incalculável valor artístico e importância histórica, testemunho de um passado glorioso. Trata-se do Conjunto Franciscano, formado pela igreja de São Francisco e Convento de Santo Antonio, que começou a ser construído em 1589, quatro anos depois da fundação da cidade. Atualmente o conjunto funciona como Centro Cultural e abriga exposições de todos os tipos.

João Pessoa soube preservar seu patrimônio e ainda manter viva e intocável a riqueza natural, sem duvida o principal atrativo da capital paraibana. A cidade conta ainda com uma reserva florestal; a Mata do Buraquinho (Jardim Botânico), a Mata do Amém e o Parque Arruda Câmara, mas conhecido como Bica, que abriga o jardim zoológico.

Se não bastasse o verde que confere á população uma excelente qualidade de vida, João Pessoa possui praias belíssimas e limpas o ano inteiro.São aproximadamente 30 quilômetros de um mar despoluído com águas claras e tépidas constantemente, e uma orla que tem como principais componentes os vastos coqueirais e as imensas falésias.

Litoral Sul

Litoral do Conde tem uma legião de empresários estrangeiros e um cemitério de navios

João Pessoa é considerada a porta de entrada dos turistas que visitam a Paraíba, que reserva uma área que se transformou e um verdadeiro paraíso para quem curte muito sol, natureza e tranquilidade. Distantes pouco mais de 30 km da capital paraibana, as praias do município do Conde, litoral sul, têm chamado a atenção dos turistas, mas principalmente, dos empresários estrangeiros, que encontraram naquela região um ambiente ideal para investimentos em equipamentos hoteleiros e serviços.

Atualmente os estrangeiros possuem 14 equipamentos hoteleiros, entre pousadas, hotéis e até resorts. Dos quase dois mil leitos existentes no Conde, 40% estão nas mãos deles. Um trecho do litoral da Paraíba é “europeu”. São suecos, holandeses, alemães, portugueses, argentinos, japoneses, ingleses, angolanos e uruguaios que descobriram as belezas naturais da região e o imenso potencial de desenvolvimento no setor turístico.

Novo roteiro – Com tantos hotéis e pousadas, e até o único resort da Paraíba – Mussulo By Mantra, a Costa do Conde estará desenvolvendo um projeto para tornar 12 desses estabelecimentos em um “Roteiro do Charme do Brasil”. O projeto é de autoria do secretário de Turismo, Saulo Barreto, e contará com a participação dos integrantes do Departamento de Arquitetura e Urbanismo do Unipê, uma faculdade privada de João Pessoa. A ideia é transformar ambientes das pousadas e hotéis em lugares de charme, como um referencial a mais de atração de turistas.

O litoral paraibano tem 138 km de extensão, onde desfilam 55 praias naturais e urbanizadas onde as suas areias claras, mar verde-azulado é incrementado por suaves enseadas, barras, estuários, restingas, cordões litorâneos, tabuleiros, falésias e salpicada, em vários trechos, por coqueiros, cajueiros, maçarandubas e guajirus. Do Sul, o litoral paraibano faz limite com Pernambuco e, ao Norte, com o Rio Grande do Norte.

Naturismo – O Conde conta com mais de 10 praias inesquecíveis, mas as mais tradicionais e conhecidas são as de Tambaba, que fica a 40 Km de João Pessoa, localizada à Barra de Garaú, e Coqueiro. Em Tambaba foi instalado o primeiro campo de naturismo oficial do Nordeste e o segundo do Brasil. Com uma extensão de 1,7 metros de pura beleza selvagem, Tambaba é protegida por suas falésias altas e íngremes, ora cobertas por uma mata densa, ora desnudas, enaltecendo o colorido dos terrenos de cor avermelhada ou branca. O acesso a esta praia é facilitado pela BR-101, integrada à rodovia Conde-Jacumã.

O Conde ainda tem o privilégio de ter em seu litoral a praia de Coqueirinho, que, como diz o nome, possui muitos coqueiros. A praia tem forma arredondada com várias falésias. Em um dos seus trechos tem águas claras, ondas fracas e arrecifes. Em outro ponto, possui ondas fortes em mar aberto, que formam grutas naturais nas rochas. Coqueirinho é considerada como sendo uma das praias mais belas do litoral paraibano, ideal para mergulhos, surfe e prática de pesca submarina e para camping.

Se os turistas encontram belezas inesquecíveis no litoral paraibano, há ainda roteiros que intrigam a imaginação de todos. No litoral paraibano está registrado um ‘cemitério’ de navios. Isso mesmo. Mergulhadores especializados e documentos da Marinha Brasileira têm registros, a partir do Século XVI, que apontam sinistros que incluem um rol de brigues ingleses, escunas e caravelas portuguesas e espanholas, navios americanos e de outras nacionalidades, que adernaram para sempre nas praias tabajaras.

Cemitério no mar – No Conde, a praia de Jacumã registra um desses naufrágios. Em profundidades que variam de 10 a 45 metros, estão afundados a escuna Jessé, de bandeira portuguesa (1574); as embarcações francesas Pierre (1582), Jumeau (1708), Chargeur D’ Flote (1712), o Piegge e o Marie II (1722), além dos navios americanos Shorting Star (1856) e Transit (1871). Em 1866 naufragou alí o navio inglês Queen Of The Forthe. Em outras praias próximas, existem cascos que jazem sob a água há mais de 100 anos.

pt_BRPortuguês do Brasil
es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil