Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba faz concerto em homenagem ao samba neste domingo

Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba faz concerto em homenagem ao samba neste domingo

A noite do próximo domingo, 2 de dezembro, será de celebração na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa. No Dia Nacional do Samba, a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba abrirá espaço no seu repertório erudito para homenagear esse ritmo que representa a nossa cultura popular e é Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. O concerto especial terá regência do maestro Luiz Carlos Durier e contará com a participação de nomes de destaque da música paraibana. Ao lado dos jovens da sinfônica estarão o músico Potyzinho Lucena e os cantores especialmente convidados Polyana Resende, Kojak do Banjo, Salete Marrom e Mirandinha.

O Concerto em Homenagem ao Samba começa às 19h e tem entrada gratuita. No programa constam as músicas mais representativas do samba, de autoria de compositores brasileiros como Ary Barroso, Paulinho da Viola, Adoniram Barbosa e Noel Rosa, e paraibanos, a exemplo de Potyzinho Lucena e Jonathas Falcão.

“Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso com arranjo do Maestro Duda, vai abrir a noite especial, seguida pela execução de “Salve o Negro, Salve o Samba”, de Mirandinha (arranjo de Emanoel de Barros); “O Surdo”, de Antônio José, Chico Silva e Paulinho Rezende (arranjo de Rogério Borges); “Um Samba a Dois”, composição e arranjo de Potyzinho Lucena; “Meu Ébano”, de Neneo (arranjo de Rogério Borges), e “Série Brasileira – Batuque”, de Alberto Nepomuceno.

O concerto continua com a execução de “Caymmi: Mulheres (Marina, Dora, Rosa Morena)”, de Wellington das Mercês; “O Sol e o Temporal”, de Kojak do Banjo e Potyzinho Lucena (arranjo de Emanoel Barros); “Garoto Maroto”, de José Franco Lattari e Marcos Paiva (arranjo de Rogério Borges); “Gostoso Veneno”, de Wilson Moreira e Nei Lopes (arranjo, Rogério Borges); e “Vaitimbora”, de Jonathas Falcão (Seu Pereira), com arranjo de Potyzinho Lucena.

Encerrando a noite festiva, estarão “Só Sambas”, de Cyro Pereira, com as músicas Palpite Infeliz (Noel Rosa), Mulata Assanhada (Ataulfo Alves), O Bêbado e o Equilibrista (João Bosco), Foi um Rio que Passou em Minha Vida (Paulinho da Viola) e Trem das Onze (Adoniran Barbosa), e “Não Deixe o Samba Morrer”, composição de Edson Conceição e Aluízio Silva, com arranjo de Rogério Borges.

Para a presidente da Fundação Espaço Cultural da Paraíba, Nézia Gomes, esse concerto em homenagem ao samba tem sido pra Funesc e pra orquestra sinfônica algo muito especial. “Primeiro por celebrar esse ritmo que é a cara do Brasil, o samba, e também traz um pouco da ancestralidade da gente com um pé também na África. Eu acho que a gente faz uma referência através do samba à cultura popular brasileira como um todo, Eu, particularmente, estou muito feliz de poder juntar músicos, sambistas que vivem aqui, que tocam o samba aqui na Paraíba, à orquestra jovem e fazer essa noite de homenagem”, destacou.

“Vai ser uma noite, eu não tenho dúvida, emocionante, e sei que a orquestra está preparando com muito zelo e muito respeito essa noite pra que seja em grande estilo. Estamos todos felizes com essa possibilidade de homenagear, colocando no palco a orquestra jovem, que é uma lindeza, com os músicos Kojak, Polyana Rresende, Salete, Mirandinha e Potyzinho, que estão na resistência diária, que vivem o samba. Eu acho que é uma grande homenagem a todo mundo que sobrevive da música, em especial, do samba”, observou Nézia.

O maestro Luiz Carlos Durier lembrou que a música brasileira sempre está inserida na programação da OSJPB. “Esse trabalho que a gente faz na orquestra sinfônica jovem, através dos anos e da nossa experiência, é nos aproximar da música popular brasileira, que tanta encanta a todos nós”, disse o maestro Luiz Carlos Durier.  “Eu me sinto muito feliz de poder contribuir com essa programação, que foi uma ideia de Polyana e Potyzinho, que se prontificaram para fazer esse trabalho em conjunto com a orquestra sinfônica jovem e nós abraçamos com muito carinho”, completou.

Durier destacou a participação de Potyzinho tocando cavaquinho, “o que dará ao concerto uma caracterização realmente de samba, por conta desse instrumento tão peculiar”. De acordo com o maestro, todos os arranjos foram escritos para guitarra, que servem, neste caso, para serem tocadas pelo cavaquinho. “Nossa expectativa é de fazer um belíssimo concerto, porque tem arranjos de Emanoel Barros, de Potyzinho, Rogério Borges, Cyro Pereira, Maestro Duda, enfim, nós temos excelentes arranjadores para este concerto, que será em homenagem ao samba e nós faremos um histórico musical por ele”, finalizou.

Solistas

Potyzinho Lucena – Natural de João Pessoa (PB), Poty Holanda de Lucena Junior tem 25 anos de carreira atuando como músico, arranjador, produtor e diretor musical em shows e gravações. Os últimos trabalhos publicados entre 2017 e 2018 foram o CD da cantora e compositora Polyana Resende, do cantor e compositor Mirandinha, do grupo Pura Raiz e do cantor e compositor Helton Souza. Em todos eles Potyzinho Lucena assina a direção musical e os arranjos. Atualmente, está em estúdio finalizando o seu primeiro CD solo, com músicas instrumentais de sua autoria.

Kojak do Banjo – Nascido em João Pessoa (PB), teve seus primeiros contatos com a música muito cedo, tocando percussão com amigos nas rodas de samba do bairro Castelo Branco. Pouco tempo depois descobriu e se apaixonou pelo banjo e hoje acrescentou ao seu currículo o violão e o cavaquinho. Autodidata, logo se tornou conhecido por Kojak do Banjo. Acompanhou e abriu shows para vários artistas locais e de renome nacional, a exemplo de Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Dudu Nobre, Martinho da Vila, Grupo Revelação entre outros, sendo atualmente uma referência do samba na Paraíba. Hoje, nesses tempos novos para o samba, Kojak do Samba lança o terceiro CD com músicas autorais.

Mirandinha – Nasceu em Flora Rica (SP), Mirandinha é filho de nordestinos e mora há 30 anos em João Pessoa (PB). Cantor e compositor, tem como principal instrumento o banjo, que sempre está presente em suas rodas de samba. Seu recente trabalho é o CD intitulado “Salve o Negro, Salve o Samba”.

Polyana Resende – Pernambucana radicada na Paraíba, é aluna da licenciatura em Música pela UFPB. Tem 13 anos de carreira e em 2015 lançou seu primeiro single, “Vaitimbora”, que faz parte do seu primeiro álbum, “Samba Teimoso”, lançado em 2017. É a primeira mulher a integrar a ala de compositores de uma escola de samba de João Pessoa e no ano passado foi campeã com o samba enredo “A Fé dos Deuses no Brasil”. Polyana Resende foi intérprete finalista com a música “Um Samba a Dois”, no Festival de Música da Paraíba realizado este ano.

Salete Marrom – Cantora nascida na cidade de Pombal (PB). Filha de músico, começou a cantar com 7 anos de idade. Salete Marrom trabalhou em várias bandas e tem como referência as cantoras Alcione e Clara Nunes.

Regente

Paraibano de João Pessoa, Luiz Carlos Durier é o regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) há 21 anos. Seu trabalho direcionado para jovens músicos em formação tem reconhecimento em todo o Brasil. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB).

Como regente convidado, conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Durier também regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba. No ano de 2012, o maestro recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo desempenho profissional frente à OSPB.

Entre suas atividades, conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marinês e sua Gente e do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Com a OSPB e a OSJPB, esteve à frente de concertos com artistas populares como Ângela Rô Rô, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, Dominguinhos e Zélia Duncan.

Por três anos consecutivos, Luiz Carlos Durier regeu a Orquestra Sinfônica da Paraíba e a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba em grandes concertos comemorativos ao aniversário da cidade de João Pessoa, com artistas paraibanos, que lotaram o Teatro Pedro do Reino, no Centro de Convenções. No dia 5 de agosto de 2016, a apresentação teve como destaque o cantor e compositor Zé Ramalho; no ano passado, as atrações foram as cantoras Cátia de França e Nathalia Bellar, e neste ano, o também paraibano Chico César foi o destaque da apresentação em homenagem aos 433 anos da capital paraibana.

Próximos concertos

O concerto de encerramento da temporada 2018 da Orquestra Sinfônica da Paraíba será no próximo dia 6 de dezembro (quinta-feira), na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural. Já a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba fará o Concerto de Natal no dia 12 de dezembro (quarta-feira), no Adro da Igreja de São Francisco, no Centro de João Pessoa, com a participação do Coro Sinfônico da Paraíba.

 

imprensa

pt_BRPortuguês do Brasil
es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil